lundi 30 novembre 2015

CARTAS QUE NÃO SE REPETIRÃO JAMAIS NR 7 – DE JORGE AMADO E ZÉLIA GATTAI AMADO, E DE MARIA ROSANE C. RUBIM, PARA URDA ALICE KLUEGER


(Em cartão timbrado de Jorge Amado e Zélia Gattai Amado – escrito à mão)
                                  
                                   Salvador, fevereiro de 1996.                        

                                   Querida Urda:

                                   Acabamos de receber e agradecemos a fita do sarau sobre Jorge Amado. Ela será vista com carinho e depois entregue à “Fundação Casa de Jorge Amado”, onde será apreciada por muita gente, será de grande utilidade.
                                   Obrigada, Urda, pela gentileza tão grande.
                                   Receba um abraço afetuoso 
                                                           da Zélia
(Com outro tipo de caneta, no mesmo cartão:)
                                   Um abraço do
                                                           Jorge.


                                   Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
                                   (Em papel timbrado de Jorge Amado – datilografado)

                                   Salvador, 17 de abril de 1995.

Sra.
URDA ALICE KLUEGER
Rua 7 de setembro nr 1314
89.010.202 – Blumenau – SC

Prezada senhora:

                                   Acuso o recebimento da sua carta de 08 do corrente mês.
                                   O casal Zélia/Jorge Amado encontra-se no exterior, para onde viajou no princípio do mês passado, não tendo, consequentemente, tomado consciência daquela sua missiva, o que fará assim que retorne ao nosso convívio.
                                   Cordialmente,

                                   Maria Rosane C. Rubin

                                               Secretária


____________________________________________________



(Em papel timbrado de Zélia Gattai – datilografado)

                                               Salvador, 14 de outubro de 1995.

            Querida Urda,

            Recebi e agradeço a sua carta de 23 de setembro, acompanhando “Recordações de amar em Cuba II”. Desculpe a demora da resposta. Tenho andado ocupadíssima com vários compromissos e não queria lhe escrever apenas um bilhete de agradecimento às belas e generosas palavras sobre “Crônica de Uma Namorada”. Queria antes ler o seu livro o que fiz aos poucos: dez páginas pela manhã, outras tantas à noite ao me deitar. Leitura demorada porem feita com grande interesse pois, o problema de Cuba me interessa, me toca. Visitamos Cuba, Jorge e eu, duas vezes. A primeira foi quando ainda era “pecado” viajar para lá, a outra, há uns dez anos mais ou menos, Jorge convidado a presidir um festival de cinema.
            Gostei do seu livro pelas boas observações, pela sinceridade. Ele é gostoso de se ler, é um livro que conta as coisas como elas são sem, no entanto, criticar um país bloqueado, de mãos atadas, que consegue sobreviver lutando por dias melhores. Parabéns, Urda.
            Gostaríamos de receber a fita de vídeo gravada durante o sarau literário sobre Jorge Amado. Material de grande interesse, depois de visto o mandaríamos para a “Fundação Casa de Jorge Amado”. Antecipadamente, agradeço.
            Jorge junta-se a mim para abraça-la afetuosamente
                                                                                   Zélia
(A seguir, escrito à mão)
Um abraço amigo de seu leitor e admirador
                                                                       Jorge.

ENCONTREI UM AMIGO


Sai de casa tão triste,
E andando devagar.
Pensando na minha vida!
Que rumo iria tomar...
***
Mas encontrei um amigo,
 De muitos anos passados,
Em que trabalhamos juntos!
E éramos considerados.
***
Esse amigo venceu na vida.
E me vendo aborrecido perguntou:
-Tu estas desempregado?
Vem trabalhar comigo.
- Na verdade não estou!
 Mas ganho baixo salário.
Tenho varias prestações...
O quarto onde moro!
 Também está atrasado.
No dia em que nasci.
 Não deve estar no calendário!



                                    Vivaldo Terres


CONVITE


vendredi 27 novembre 2015

CONHEÇA!

DANÇARINA


mercredi 25 novembre 2015

ORCHESTRAL CONDUCTING WORKSHOP

1 - Orchestral Conducting Workshop

Orchestral Conducting Workshop (9th. and 10th. of January 2016; Winterthur, Switzerland)

Individual and group lessons

Languages: German, English, French

Contents: contemporary conducting technique, creative rehearsal technique, team leadership, video analysis of famous conductors

No age limit

More information: http://www.cattapan.ch/naechste-kurse/



2 - Lectures about "The Language of Conducting"

Dates: mondays (from the 11th. of January till the 15th. of February 2016), 7:30 P.M. till 9:00 P.M.

Fees: 180 CHF

Application and address: Volkshochschule Zürich

Information: http://www.cattapan.ch/naechste-kurse/

A SOMBRA


CONSULADO ITINERANTE EM LAUSANNE


mardi 24 novembre 2015

BINGO EM GENEBRA


CONVITE 2


CONVITE


lundi 23 novembre 2015

AS NEWS DO VARAL DO BRASIL!



Olá amigos!

Escrevemos para vocês num momento de um dia cinzento, totalmente com ares de inverno, inclusive com a neve que já cai bem próxima daqui (alguns pingos de chuva misturados com neve caem de leve aqui pelas ruas...). Dias como estes são o prenúncio do longo inverno que nos aguarda! Mas nada temos a reclamar: tivemos um excelente verão e até mesmo o outono tem sido clemente, com belíssimos dias de sol e temperatura agradável! Com alegria, trazemos para vocês as notícias do Varal neste mês de novembro.
Para começar, a edição especial de Natal e Ano Novo será distribuída na primeira quinzena de dezembro. As inscrições já estão encerradas. Aguardem a revista que virá com muitos textos lindos!
As inscrições estão abertas para duas edições da revista Varal do Brasil:
- Edição de janeiro, com tema LIVRE até o final deste mês; e
- Edição de março, com tema MULHER, até dia 25 de janeiro.
Não deixem de enviar logo suas contribuições, pois com a proximidade das festas de fim de ano, são muitas coisas a fazer e acabamos esquecendo... Vocês podem escrever em verso ou em prosa. Toda participação é gratuita e não é preciso ser associado a nenhuma organização ou associação para escrever conosco.
As inscrições estão abertas para participação no 30º Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra (Salon du Livre et de la Presse de Genève), Suíça que acontecerá de 27 de abril a 1º de maio do próximo ano.
Você pode participar de duas maneiras:
- Vindo pessoalmente para autografar no estande, lançar seus livros aqui em Genebra!  (Contamos com o apoio de uma agência de viagens brasileira que pode facilitar sua vinda!) ou
- Enviando seus livros pelos correios e nós representaremos você divulgando suas obras (exposição e venda dos livros).
Para toda informação complementar, solicite por gentileza nosso material informativo sobre o Salão do Livro de Genebra, que é bastante esclarecedor e, com certeza, responderá suas dúvidas.
Criamos um grupo no Facebook para Divulgação de Eventos Culturais e Artísticos na Europa. Se desejar fazer parte, é só clicar aqui:
A descrição do Grupo é: Grupo destinado a escritores, artistas e promotores culturais que participem e desenvolvam projetos literários na Europa em Feiras de Livro reconhecidas e organizem e participem de eventos culturais legítimos onde a Língua Portuguesa e a integração cultural sejam enriquecidas.
Para outras publicações (textos, convites para lançamentos de livros, exposições e demais eventos no Brasil e outros países) e também para nossas oficinas literárias criativas, temos o Grupo do Varal do Brasil, você pode entrar aqui:
É sempre uma felicidade contar com vocês em nossas atividades e é sempre um prazer realiza-las!
Para saber mais sobre o Varal, visite: www.varaldobrasil.com
Para saber mais sobre quem faz o Varal, dê uma olhada aqui: www.coracional.com

Por favor, use este e-mail para responder: varaldobrasil@gmail.com


Obrigada por nos receber e pelo interesse em nossas atividades!

vendredi 20 novembre 2015

TE FERIU TANTO

Um poema de Vivaldo Terres

Ontem te via como a jovem bela,
Cujo encanto era deslumbrador.
Fingias que amavas os jovens da época,
Levando a todos o sofrimento e a dor.
***
Mas eis que um dia,
Vindo de onde não sei.
Alguém que te causou...
O mesmo sofrimento!
Ferindo-te e deixando triste.
 E que te fez perder,
Esse deslumbramento.
***
Feriu-te tanto que esquecesses a vida,
Esquecesse-se de ti e o tempo passou.
Pudesse esquecer tudo...
 Menos aquele que sem o querer,
 Feriu-te e magoou.
Por não ter culpa...
 De ter sido ele o teu primeiro...

E grande amor.

CAMPANHA LIVRO E AMIZADE DO VARAL DO BRASIL


CARLA VISI EM GENEBRA


jeudi 19 novembre 2015

TROVAS


mercredi 18 novembre 2015

VENHA CONHECER!


OS DIREITOS DAS CRIANÇAS SEM "PERMIS" EM GENEBRA


CONVITE


mardi 17 novembre 2015

CONVITE


O ADVERSÁRIO

 

Autor: Maurício Limeira
Gênero: Terror
Páginas: 222

Release: “Há uma sombra”, ela enfim disse, sem abrir os olhos. “Há alguém perto de você. Rodeando você. Quer algo que você tem. Não 
descansará enquanto não obtiver aquilo que só em você encontrou.”

Na procura por vingança pelo assassinato da namorada, um jornalista se embrenha no submundo do crime sem saber o que vai 
encontrar. Ao buscar os serviços do assassino Casemiro, jamais esperaria ele que a vingança desejada iria se transformar em algo muito maior e mais assustador do que a violência urbana e a corrupção do tráfico. Sangue, almas gêmeas, dor, medo, trevas, o outro obscuro à espreita. O mal, personificado na crueza e agressividade de Casemiro, já o incluíra em seus planos e o aguardava para um destino do qual 
era tarde demais para recuar.

Em O ADVERSÁRIO, o sobrenatural age da forma mais incômoda: nas coisas pequenas de nosso cotidiano. Ele age por baixo dos momentos de tranquilidade. Prega pequenas peças que jamais associamos ao todo. Aflora em lugares insuspeitos. Cava galerias sob nossa paz. Até que, num crescendo de tensão e horror, chegar a hora em que as instalações nas quais erguemos nossa sanidade, de tão corroídas, vêm abaixo.

Biografia do autor: Maurício Limeira é carioca, formado em História, nasceu em 1969. Escreve desde a adolescência, publicando parte desse material na internet e parte inscrevendo em concursos literários, onde já foi premiado. Teve um artigo dos tempos de faculdade publicado no livro “História e Imagem”, e dois contos publicados na coluna na revista “Cult”. Participa do grupo Filmantes, o qual fundou e com quem vem realizando vídeos independentes disponibilizados na internet. 


No blog de O ADVERSÁRIO, além de notícias sobre este romance, você também pode encontrar contos com temática fantástica e sobrenatural. O blog fica em  O Adversário

CRÔNICA DA URDA

Europeu também pode

Diante dos atentados na França, faz dois dias, achei por bem trazer a lume esta crônica antiga. Há que se considerar que o Estado Islâmico é financiado pelo Capital, via Arábia Saudita/EUA/OTAN – até a Hilary Clinton já andou censurando tal financiamento.

(Explicação aos leitores:
Onde está escrito Espanha, leia França;
Onde está escrito Iraque e Afeganistão, leia Síria, ou Palestina, etc.;
Onde está escrito Bush, leia OTAN;            
Onde está escrito Al-Qaeda, leia Estado Islâmico.
O resto é igualzinho.)


            Tinha passado dois dias em Florianópolis, e vim pelo caminho imaginando como iria contar para vocês, desta vez, sobre uma goiabeira que foi muito importante na minha infância. Então chego, ligo para minha mãe para dizer que cheguei bem – as mães sempre querem saber tal coisa – e do alto dos seus 82 anos, ela me diz:
                                   - Tu já viste o que aconteceu na Espanha? Peguei a notícia no meio, não sei muito bem, mas foi terrível! Deve sair tudo de novo agora nos noticiários da noite.
                                   É claro que me aboletei no sofá para ver todos os noticiários. E como ando sentindo muita dor, porque quebrei um braço faz 40 dias, mas só há 4 que um médico descobriu que o braço estava quebrado, de imediato senti muita pena daquelas pessoas mortas, feridas, estraçalhadas, cheias de dor que resultaram do tríplice atentado madrilenho de hoje. A primeira informação que cada canal de televisão disse foi: “Atentado atribuído ao E.T.A.”, que é uma organização de uma região separatista ao norte da Espanha, o País Basco. Só que tem uma coisa: o E.T.A. até faz uns alguns atentados, mas muito menores, nada a ver com o massacre das estações de trem ocorridos hoje. Ficava bem ao Primeiro Ministro espanhol, no entanto, jogar a culpa no E.T.A. – se é um atentado caseiro, não tem nada a ver com a irresponsabilidade dele, juntando-se a um louco como Bush II para invadir outros países e massacrar muitas centenas de milhares de pessoas, que acho que é o que já foi massacrado recentemente na soma das mortes feitas pelos invasores só no Afeganistão e no Iraque. Rabo entre as pernas, o Ministro Aznar procurava ficar escondido atrás do E.T.A. – mas antes que a noite se adiantasse já havia uma associação ligada a Al Qaeda assumindo a responsabilidade, e dizendo que não tinha nenhuma  pena de ver civis europeus tão bem estraçalhados quanto civis asiáticos. Al Qaeda vocês se lembram, é a organização do Osama bin Laden, a que derrubou as torres gêmeas nos Estados Unidos.
                                               Daí imagino que metade de vocês está querendo comer Osama Bin Laden e a Al Qaeda por uma perna, porque gente legitimamente branca, ancorada na velha e boa Europa, aquela que gerou a maioria de nós, sofreu na pele um ATENTADO – meu braço aqui está doendo o suficiente para eu saber que braços e outras coisas quebradas doem muito – imaginem gente estraçalhada como explosivos estraçalham, gente que fica sem uma perna e meia barriga, ou gente que perde meio rosto e meia cabeça, como vi muito bem como ficam pessoas explodidas numas fotos realistas que estavam expostas em Porto Alegre, lá no Terceiro Fórum Social Mundial. Isto sem contar as crianças, pequenas vítimas inocentes da loucura de adultos loucos, com as barrigas abertas como couve flores vermelhas e outras coisas horripilantes.
                                               E daí uma coisa assim acontece na velha e boa Europa que nos “descobriu” (A América já estava “descoberta” há pelo menos 12.000 anos!), e a maior parte do nosso público se horroriza: como? Na Europa? Lá não pode! Lá é o berço da civilização! – e por aí vai. Esquecem-se, claro, que há diversas civilizações, e que a da Europa é apenas uma delas. Mas os europeus podem sair por aí na cola do Louco Bush, invadindo países que têm petróleo e explodindo gente a granel, sem que a gente ache que está errado. Não está errado uma ova! Gente explodida na Ásia e gente explodida na Europa é a mesmíssima coisa. E veja bem quantos países europeus estão ajudando a explodir gente na Ásia: Inglaterra, Itália, Estônia, Polônia, Dinamarca, Hungria, uma Espanha com um louco Aznar que decerto agora não sabe onde enfiar a cara, e até o nosso antepassado Portugal, coisa que nunca nem quis acreditar direito! Pois é, estão lá os europeus a fazer as barbaridades sem pensar que elas acabarão vindo parar dentro de casa. Já começou. E decerto ainda vai piorar. Europeu também pode explodir. Exatamente como asiático explode. É a mesma coisa.         
                                   E o mundo ocidental se horroriza com o que aconteceu na Europa. Mas por que não se horroriza quando acontece nos outros continentes?

                                               Blumenau 12 de março de 2004.

                                               Urda Alice Klueger

                                               Escritora, historiadora e doutora em Geografia.

NOTICIAS DO CONSULADO-GERAL BRASILEIRO EM GENEBRA



lundi 16 novembre 2015

ESTRELA

ESTRELA

CONTO DE EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

Para CLARICE
Então, eu disse para ela – tentando desdramatizar, buscando um sorriso –: quando sentires saudades, olha uma estrela (qualquer estrela), em qualquer noite, e tenta me enxergar lá – o bigode, o sorriso, as esperanças, as paixões, os erros, as lutas não vencidas, o sonhos, os voluntarismos, tudo o que quiseres enxergar.
Ela camuflava a tristeza. Eu iria partir. Nunca se sabe quando.
De qualquer maneira, eu sempre te amarei, e esse amor vai à eternidade, mas eu não quis ser solene ou retórico– era o que eu  sentia (sempre, só escrevi o que senti).
Morrer é ficar longe dos amigos?
Lembrei-mede um personagem de Gabriel Garcia Marquez, em “Do Amor e Outros Demônios”: “O corpo humano não foi feito para os anos que a pessoa é capaz de viver” (...).
Vida e morte, não pedimos para nascer, não pedimos para morrer.
“Os homens morrem e não são felizes” (Albert Camus).
Fomos andar no Parque da Cidade.
E fiquei pensando: vi esta “menina” nascer, assisti aos  seu crescimento, os primeiros dentes, seu crescimento, a evolução do corpo, e ela estava agora com quase trinta anos, e é um sol nesta minha vida.
Como em Nietzsche, a mim não foi concedido o benefício do esquecimento.
Seria um lugar-comum, mas eu “discursei”: é preciso ser forte, nascemos, vivemos, envelhecemos – se não morrermos antes.
Entendi na prática o que estudara nas aulas de Filosofia: é preciso ser estoico.
Não reclamar, seguir em frente.
Fé? Eu não sabia se ainda a tinha.
“Nada acontece no teu conto”, avisa um anjo.
Um eventual leitor, talvez diga: “que triste!” ( o texto).
Categorias como “alegria” ou “tristeza” não importam no que escrevo. Só busco colher  uma verdade humana, só escrevo o que sinto – sempre (perdão pelo tom solene ou retórico – ou pelo eventual lugar-comum).
Parece um jogo de dados. Cai o número seis, o número um. Sempre cai algum número.
Células “saíram do lugar”. O repertório é vasto – enfermidades várias.
Passamos. Breve sopro.
Insisti: sempre te amarei, aqui, depois, sempre.
Comemos pipoca, tomamos água de coco.
Estávamos no período de seca em Brasília.
Seus olhos pareciam indagar: “por que”?
Nunca saberemos.
Nunca saberemos de nada.
Em tradução livre, recordei-me de “Macbeth”, de Shakespeare” (sobre a vida): “É uma estória contada por um idiota, cheia de som e de fúria, sem nenhum significado.”
Poderia ter optado por “louco” em vez de “idiota”. E optando “qualquer” em vez de “nenhum”.
A vida? Essa ânsia toda. Essa movimentação toda. Essa luta toda.
Mas não esqueças, moça: para te lembrares de mim, basta escolher uma estrela.
Qualquer uma.

Até.

FILMAR - GENEBRA





Newsletter Festival FILMAR 2015_n° 3
logo_FILMAR

Filmar

FILMAR a ouvert ses portes !

Casa llena ! La 17ème édition du Festival FILMAR a été inaugurée vendredi soir devant plus de 400 spectateurs enthousiastes. La projection du film guatemaltèque Ixcanul a conquis le public et a été suivi d'un apéritif offert par la Ville de Genève.
Nous nous réjouissons de vous rencontrer dans l'une de nos salles pendant le festival qui se clôturera le 29 novembre. Retrouvez notre programmation sur: www.filmar.ch

Filmar

Les premiers jours du festival à Fonction:Cinéma

Ce lundi 16 et mardi 17 novembre, 4 séances vous seront présentées dans la salle de Fonction: Cinéma:
LUNDI 16 NOVEMBRE
18h45 Algún día es mañana
Ricardo Torres, Suisse, Colombie, 2015, doc, 70', vo st fr - en présence du réalisateur

La communauté de Las Pavas décide de rentrer dans la région dont elle a été expulsée. Elle recommence à cultiver les plantes qui la nourissent et tente d'arrêter l'avancée de la monoculture consacrée à l'huile de palme. Cette séance sera suivie à 20h45 du vernissage de l'exposition photographique Les voy a contar la historia.

20h45 Esto es lo que hay 
Léa Rinaldi, France, Cuba, 2014, documentaire, 100', vo st fr


Parcours musical qui suit le groupe de hip-hop le plus populaire et contestataire de Cuba: Los Aldeanos (photo)

MARDI 17 NOVEMBRE
18h45 Les malades de l'imaginaire
Philippe Goyvaertz, France, Guatemala, 2015, documentaire, 109' vo st fr


Voyage dans les communautés mayas du Guatemala, retraçant les visites d'un psychiatre à ses patients schizophrènes. Le documentaire donne également la parole aux thérapeutes traditionnels mayas, qui possèdent leur propre technique pour soigner ce type de maux.
20h45 El aguante
Nina Dupeux, Emmanuel Briand, Argentine, France, 2015, documentaire, 51' vo st fr


En 2001, l'Argentine a fait face à une crise très grave et des ouvriers ont pris l'initiative de récupérer illégalement leurs usines pour continuer la production.

Filmar

FILMAR prend ses quartiers à La Maison Internationale des Associations

Pendant trois jours, du lundi 16 au mercredi 18 novembre six films documentaires seront proposés dans le cadre de notre première collaboration avec cet espace convivial.

Mardi 17 novembre à 20h15 le film Otra isla de Heidi Hassan sera présenté en complicité avec Solidarités.
La soirée du mercredi 18 novembre s'intéressera au cinéma documentaire et à l'actualité mexicaine. Avec le soutien de Nouvelles Générations Chili et de ALMA nous projeterons le bouleversant documentaire: Ayotzinapa. Crónica de un crimen de Estado de Xavier Robles.
Programmation complète de FILMAR à la Maison Internationale des Associations sur: www.filmar.ch

Filmar

FILMAR au Bio Carouge

A partir de mercredi 18 novembre, FILMAR investit le cinéma Bio de Carouge. Un programme riche et varié vous y attend.
Le mercredi 18, ne manquez pas la projection de Nina y Laura à 18h45 en présence du réalisateur Alejo Crisóstomo et l'actrice Kattia González Zúñiga. La soirée continuera à 21h avec Truman, le dernier film en date avec l'acteur super star argentin, Ricardo Darín.
Le jeudi 19 à 18h45, nous vous proposons en exclusivité le nouveau film du Chilien Pablo Larraín, Ours d'Argent à la Berlinale 2015: El Club (photo).
Programmation complète de FILMAR au Bio sur: www.filmar.ch

Contact

Festival FILMAR en América Latina
Rue Necker 17
1201 Genève
Tél. +41 (0)22 732 61 59
info@filmar.ch

 Tweet Button
    

A POÉTICA DA PAIXÃO


PETECA


O MANUAL DO GALO AZUL


AFRICANIDADES


vendredi 13 novembre 2015

DOMINGO NO CONSULADO-GERAL DO BRASIL EM GENEBRA!


jeudi 12 novembre 2015

UM EVENTO QUE VALE A PENA!


VENHA CONHECER!


CAFÉ


mercredi 11 novembre 2015

ARTISTA BRASILEIRO: MANOEL DA SILVA

Manoel da Silva, aposentado há doze anos por uma carbonífera da região de Criciúma/SC, hoje é artista plástico autodidata que passou a se interessar por artes em 2002, à partir de então, foi a procura de sua identidade artística e desenvolvimento de suas próprias técnicas. Teve participação em variadas exposições, individuais e coletivas. Dentre seus objetivos, procura integrar sua arte com o reaproveitamento de resíduos e fazer projetos de integração artística intermunicipal no sul de Santa Catarina. Catalogado pelo Sesc/SP. Convidado a ser neo-acadêmico da Academia de Letras e Artes de Fortaleza (ALAF), ganhou o Prêmio Troféu Destaque na sociedade europeia de belas artes pela ABRASA e também catalogado em 2013, participante da Enciclopédia de artistas contemporâneos em homenagem aos VIII séculos da língua portuguesa, 2014 - pela Literarte, Acadêmico Correspondente da ACLAV – Academia de Ciências Letras e Artes de Vitória. Possui ateliê em sua própria residência, onde ficam seus trabalhos.


Técnica: Auto relevo (3D) e-mail: artistael@bol.com.br Fone: 048 3438-9139









mardi 10 novembre 2015

ENCONTRO LITERÁRIO EM SÃO PAULO


CONVITE LITERÁRIO (PORTUGAL)


O DIREITO DAS CRIANÇAS (GENEBRA)


lundi 9 novembre 2015

DIA 15 DE NOVEMBRO NO CONSULADO-GERAL DO BRASIL EM GENEBRA




ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...